DICAS DE VIAGEM

6 países que são um prato cheio para quem é apaixonado por gastronomia

Todo ano, a World’s 50 Best Restaurants Academy elege os 50 melhores restaurantes do mundo. Listamos os seis países que têm mais restaurantes premiados em 2017, para os apreciadores da boa comida planejarem dez incríveis viagens gastronômicas.

Ratatouille: um clássico francês.
Ratatouille: um clássico francês.

França

Um dos maiores contribuintes da gastronomia clássica, e que influencia diretamente a gastronomia atual, em todos os cantos do mundo, é a França.

Croissants, macarrons, belos queijos e vinhos: esses são os ícones da culinária francesa que vêm à mente em um primeiro instante.

Essa gastronomia riquíssima, no entanto, é muito mais abrangente que isso. Seis dos 50 melhores restaurantes do mundo se encontram lá: Mirazur, em Menton, Arpège, Alain Ducasse Au Plaza Athénée, Alléno Paris Au Pavillon Ledoyen, Septime e L’Astrance, em Paris.

Massa fresca, a tradicionalíssima.
Massa fresca, a tradicionalíssima.

Itália

Tanto quanto na França, na Itália, a gastronomia é parte importantíssima da cultura e história.

As preparações tradicionais, cujas receitas se herdam da família, convivem lado a lado com uma gastronomia mais autoral e contemporânea.

Osteria Francescana (Modena), Piazza Duomo (Alba), Le Calandre (Rubano) e Reale (Castel di Sangro) são alguns dos 50 melhores restaurantes do mundo que se localizam na Itália.

Paella: rústica e nobre ao mesmo tempo.
Paella: rústica e nobre ao mesmo tempo.

Espanha

Junto com França e Itália, a Espanha forma a tríade mais importante da gastronomia ocidental, como é apreciada hoje e há muitos séculos.

A complexa charcuteria e os tradicionais pratos à base de frutos do mar são os pontos altos da culinária espanhola tradicional, mas, a sua cozinha de vanguarda é uma das mais fortes do mundo.

Como a França, abriga seis dos melhores restaurantes do mundo: El Celler de Can Roca (Girona), Asador Etxebarri (Axpe), Mugaritz (San Sebastian), Tickets (Barcelona), Arzak (San Sebastian) e Azurmendi (Larrabetzu).

A científica gastronomia molecular.
A científica gastronomia molecular.

Estados Unidos

Ao contrário do que comumente se pensa, a gastronomia dos Estados Unidos vai muito além da junk food.

Se por um lado a comida norte-americana se prima pela rapidez com que é preparada e o barateamento dos processos produtivos, há uma vertente, na outra ponta do iceberg, que baseia-se nos produtos de qualidade e de origem sustentável, por exemplo.

A gastronomia molecular é também uma forte vertente na gastronomia dos EUA.

Seis dos 50 melhores restaurantes do mundo encontram-se em quatro de suas cidades: Saison, em São Francisco, Alinea, em Chicago, Blue Hill at Stone Barns, em Pocantico Hills, Cosme, Le Bernardin e Eleven Madison Park, em Nova York.

Ceviche: do Peru para o mundo.
Ceviche: do Peru para o mundo.

Peru

A culinária tradicional do Peru inclui as exóticas carnes de alpaca e porquinho da Índia, além do já mundialmente difundido ceviche.

Mas é na alta gastronomia que o país tem se destacado. Ficam em Lima três dos melhores restaurantes do mundo: Central, Maido e Astrid y Gastón.

Fish and Chips: comida de rua milenar.
Fish and Chips: comida de rua milenar.

Reino Unido

Os clássicos da gastronomia do Reino Unido, como Fish and Chips, Cottage Pie, Beef Wellington e Yorkshire Pudding, embora menos apreciados mundo afora que pratos das culinárias francesa e italiana, por exemplo, têm o seu valor.

É notável a influência dessa gastronomia clássica na gastronomia praticada atualmente em restaurantes como The Clove Club, The Ledbury e Dinner by Heston Blumenthal, todos localizados em Londres.

Delicie-se

Ficou tentado com essa lista e quer conhecer todos esses restaurantes? Comece a juntar pontos Multiplus para viajar muito mais!

Para começar, cadastre-se na Multiplus. Depois, veja quais são as vantagens de fazer parte da melhor rede de fidelidade do Brasil. Aí, descubra como juntar pontos viajando. Assim, uma viagem se transforma em outra viagem, sempre. #VaiComMultiplus!