DICAS DE VIAGEM

27 pontos turísticos mundiais para quem ama literatura

Sabia que existem, espalhados pelo mundo, vários atrações de “turismo literário”?

Seja para conhecer os lugares que inspiraram escritores famosos, ou para passear por espaços que serviram de cenário para romances inesquecíveis, visitar esses pontos em uma viagem vai transportar o leitor para dentro de suas histórias favoritas.

Para te ajudar a criar um roteiro de viagem inspirador, reunimos 27 pontos turístico no mundo todo para quem ama literatura.

A Casa do Rio Vermelho. Imagem: Divulgação.
A Casa do Rio Vermelho. Imagem: Divulgação.

A Casa do Rio Vermelho - Salvador, Brasil

Quem viaja para Salvador, pode conhecer a Casa do Rio Vermelho, onde viveram Jorge Amado e Zélia Gattai.

A residência foi lar do casal de escritores por mais de 40 anos. 

O amplo jardim é cheio de árvores frutíferas e foi ali, entre mangueiras e pés de pitanga, que as cinzas do casal foram espalhadas.

Foi lá que eles receberam amigos e personalidades do mundo literário como Sartre, Simone de Beauvoir, José Saramago e Pablo Neruda.

Com direito a um vasto conteúdo audiovisual e interativo, a Casa do Rio Vermelho ainda é cheia de ambientes decorados como quando eram habitados pelos escritores.

Qualquer amante de literatura que visite Salvador precisa passear por esse lugar cheio de personalidade e brasilidade.

Drummond em Copacabana. Imagem: Wikimedia Commons, Isabelle Dias (CC BY-SA 3.0).
Drummond em Copacabana. Imagem: Wikimedia Commons, Isabelle Dias (CC BY-SA 3.0).

Estátua do Drummond - Rio de Janeiro, Brasil

De Salvador pulamos para o Rio de Janeiro, onde, sentado em um banco na Praia de Copacabana, está o escritor Carlos Drummond de Andrade. Ok, não é o escritor em si, mas sua estátua, feita em tamanho real.

Dá para sentar ao lado de Drummond e pedir conselhos literários ou tirar uma selfie para postar em suas redes sociais. De um jeito ou de outro, qualquer bibliófago precisa cumprimentar um dos maiores poetas brasileiros em uma visita ao Rio de Janeiro.

Real Gabinete Português de Leitura - Rio de Janeiro, Brasil

O Real Gabinete de Leitura é uma das bibliotecas mais lindas do mundo e fica no centro do Rio de Janeiro, em uma rua chamada apropriadamente de Luís de Camões.

Com uma curiosa fachada, inspirada no Mosteiro dos Jerónimos de Lisboa, o Real Gabinete Português de Leitura foi construído em 1887. A biblioteca tem ainda um busto de Luís de Camões, que recepciona os visitantes na entrada.

O local era muito frequentado por personagens literárias e históricas como Machado de Assis e Olavo Bilac.

Suas estantes vão inspirar qualquer leitor.

La Chascona, a casa de Neruda em Santiago. Imagem: Arturo Rinaldi Villegas (CC BY-SA 3.0), via Wikimedia Commons
La Chascona, a casa de Neruda em Santiago. Imagem: Arturo Rinaldi Villegas (CC BY-SA 3.0), via Wikimedia Commons

As casas de Neruda - Santiago, Valparaíso e Isla Negra, Chile

O escritor chileno Pablo Neruda ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1971 e é um grande nome da literatura chilena.

Quem é fã do escritor pode aproveitar uma viagem ao Chile para ver as residências do poeta.

La Chascona fica em Santiago, La Sebastiana fica em Valparaíso e Isla Negra fica na cidade de mesmo nome.

La Chascona é uma das casas mais peculiares de Neruda, já que possui um intrigante formato de barco. A casa foi construída em 1953, para abrigar Neruda e sua terceira esposa, Matilde Urrutia, e está localizada em um bairro boêmio e charmoso de Santiago.

Atualmente, quem vai a La Chascona pode encontrar ambientes decorados com móveis e objetos da época em que Neruda habitava a casa, com direito a uma vasta coleção de objetos africanos, coletados durante a carreira diplomática dele.

O bar de Neruda é encantador, as louças utilizadas pelo poeta e por sua família ainda estão espalhadas pela residência e, em uma das salas, há um imponente retrato de Matilde, que saúda os visitantes.

La Sebastiana é outra das residências de Neruda cheia de personalidade.

A vista da sala de jantar de Neruda em La Sebastiana. Imagem: Marcelo Ois Lagarde (CC BY-SA 3.0), via Wikimedia Commons.
A vista da sala de jantar de Neruda em La Sebastiana. Imagem: Marcelo Ois Lagarde (CC BY-SA 3.0), via Wikimedia Commons.

Com uma arquitetura curiosa, a casa era grande demais só para Pablo Neruda. Por isso, ele dividiu os espaços da casa com um casal de amigos.

Neruda habitava o terceiro e quarto andar da residência, isso lhe dava uma vista incrível do mar e do porto de Valparaíso. O visual é inesquecível e capaz de inspirar qualquer um a escrever boas histórias.

Em homenagem à beleza do local, Neruda escreveu um poema intitulado “A la Sebastiana”, que fica ainda mais especial para quem conhece a casa.

A casa de Neruda em Isla Negra. Imagem: Rodrigo Fernández (CC BY-SA 4.0), via Wikimedia Commons
A casa de Neruda em Isla Negra. Imagem: Rodrigo Fernández (CC BY-SA 4.0), via Wikimedia Commons

A casa de Neruda em Isla Negra fica a cerca de 100 quilômetros de Santiago, na costa chilena.

O local costumava ser utilizado por Neruda quando ele almejava uma sensação de isolamento e solidão, para poder se concentrar em seus poemas e textos. 

Algumas de suas principais obras, como “Canto Geral”, foram escritas na casa de Isla Negra e também é aqui que estão os restos mortais do escritor.

O Café Brasileiro, em Montevidéu.
O Café Brasileiro, em Montevidéu.

Café Brasileiro - Montevidéu, Uruguai

O Café Brasileiro está escondido entre as ruas e vielas da Cidade Velha de Montevidéu, no Uruguai. Inaugurado em 1877, o local costumava ser muito frequentado por escritores uruguaios, como Eduardo Galeano e Mario Benedetti.

Sempre que ia lá, Galeano pedia um café especial, que acabou entrando para o menu e é um dos mais pedidos da casa. O chamado “Café Galeano” é composto por uma dose forte de café complementada com amaretto, doce de leite e creme.

Todo amante de literatura que vai a Montevidéu pode parar ali para tomar café e aproveitar o ambiente que inspirou tantos escritores.

A casa de Ernest Hemingway em Key West.
A casa de Ernest Hemingway em Key West.

Casa de Ernest Hemingway - Key West, Flórida

A ensolarada cidade de Key West é mais próxima de Cuba do que de Miami e oferece como atração principal a Casa Museu de Ernest Hemingway.

O escritor viveu aqui com sua segunda esposa, Pauline Pfeiffer.

Preservada, a casa ainda mantém todas as decorações da época de Hemingway, com direito a livros e a máquina de escrever onde ele produziu uma de suas obras mais famosas: “Por quem os sinos dobram”.

Hemingway era fascinado por gatos e recebeu de presente do capitão de um navio uma gata chamada “Snow White”, que possuía um dedo extra nas patinhas. Hoje, a casa de Hemingway abriga uma quantidade enorme de felinos, todos descendentes dessa mesma gata e com seis dedos em cada um dos pés.

La Bodeguita del Medio, em Havana. Foto: Gorupdebesanez (CC BY-SA 3.0), from Wikimedia Commons
La Bodeguita del Medio, em Havana. Foto: Gorupdebesanez (CC BY-SA 3.0), from Wikimedia Commons

La Bodeguita del Medio e Floridita - Havana, Cuba

Havana é cheia de bares que servem drinks clássicos como o mojito e o daiquiri e que foram muito frequentados por grandes nomes da literatura como F. Scott Fitzgerald, Gabriel García Márquez e Julio Cortázar.

Com quase 80 anos de existência, o “La Bodeguita del Medio” possui em suas paredes mensagens deixadas pelos visitantes que passam por ali, famosos ou não.

Já o “Floridita” tem seu visitante mais ilustre sentado sempre no balcão, à espera de um daiquiri: uma enorme estátua de Hemingway sorri e posa para fotos com qualquer um que dá um pulinho no luxuoso bar.

Um dos espaços da casa de Victor Hugo. Imagem: Divulgação.
Um dos espaços da casa de Victor Hugo. Imagem: Divulgação.

Casa de Victor Hugo - Paris, França

A casa onde Victor Hugo viveu fica na Place des Vosges, em Paris, é hoje um grande museu que celebra vida e obra do escritor francês, decorada como nos tempos de Victor Hugo.

O local abriga parte dos móveis que pertenceram ao escritor e dá um gosto da vida dos franceses do século XIX.

Visitar a Catedral de Notre Dame também é uma forma de celebrar Victor Hugo, que escreveu “O Corcunda de Notre Dame”.

A catedral parisiense foi inaugurada na Idade Média e estava em péssimo estado de conservação durante o século XIX, quando os governantes consideraram derrubá-la O livro de Victor Hugo foi escrito para chamar atenção para a catedral. Com a obra, o escritor conseguiu aumentar o interesse do público na igreja e também arrecadou recursos para restaurá-la e mantê-la da forma como a vemos hoje.

A Shakespeare and Company de Paris. Imagem: Divulgação.
A Shakespeare and Company de Paris. Imagem: Divulgação.

Shakespeare and Company - Paris, França

A Shakespeare and Company é uma famosa livraria parisiense, inaugurada em 1922 e reaberta em 1951.

Vendendo livros de língua inglesa, a casa de livros teve diferentes donos e localizações.

Mesmo assim, sempre foi um ponto de referência para escritores que moravam na Paris do século XX, como Ezra Pound, James Joyce e Gertrude Stein.

Quem visita a Shakespeare and Company de hoje conhece um lugar inspirador e com vários espaços aconchegantes para quem quer pegar um livro e relaxar.

O Teatro Globe de Londres.
O Teatro Globe de Londres.

Shakespeare Globe - Londres, Inglaterra

Para fãs de Shakespeare, o Shakespeare Globe é uma das principais atrações turísticas de Londres.

O teatro foi construído em 1599 e fechado permanentemente em 1642 e era lá que se apresentavam as peças.

Em 1997, uma cópia exata do Globe original foi reerguida, a apenas 200 metros de distância de onde estava localizada a construção original.

Se você estiver em Londres entre os meses de maio e outubro, aproveite o teatro para ver apresentações de clássicos como Macbeth, Romeu e Julieta e Sonho de uma Noite de Verão.

A casa onde Shakespeare nasceu, em Stratford-Upon-Avon.
A casa onde Shakespeare nasceu, em Stratford-Upon-Avon.

Stratford-Upon Avon - Inglaterra

Para se aprofundar na vida de Shakespeare, uma boa pedida é viajar até a cidade de Stratford-Upon-Avon, a cerca de 130 quilômetros de Londres.

Por lá, dá para visitar a casa em que ele nasceu e viveu a infância e parte de sua adolescência.

O local foi transformado em um pequeno museu e ainda possui assinaturas de outros escritores famosos como Lord Byron, Charles Dickens e John Keats, que peregrinaram até a casa no passado.

O Museu Sherlock Holmes em Londres.
O Museu Sherlock Holmes em Londres.

Museu Sherlock Holmes - Londres, Inglaterra

Se você é fã das histórias de Sherlock Holmes, é elementar que visite o Museu Sherlock Holmes, em Londres.

A casa-museu está localizada na 221b Baker Street.

Esse é o mesmo endereço de Sherlock Holmes nos livros que o fizeram mundialmente reconhecido.  

Com três andares, a residência possui ambientes preservados e decorados da mesma forma como foram descritos nos livros, ao estilo de uma casa vitoriana do século XIX, período em que se passam as histórias de Sherlock Holmes.

A estátua de James Joyce, em Dublin.
A estátua de James Joyce, em Dublin.

Estátua do James Joyce - Dublin, Irlanda

O escritor irlandês James Joyce, cujos livros “Ulysses” e “Dublinenses” tinham Dublin como cenário principal, fez sucesso no mundo todo e é bastante celebrado no país- natal.

 

Dá para ver essa admiração na estátua de James Joyce, que fica na North Earl Street.

Se você é daqueles que não resiste a fotos, aproveite para tirar várias delas bem ao lado de um Joyce de tamanho natural.

Biblioteca da Trinity College, em Dublin.
Biblioteca da Trinity College, em Dublin.

Biblioteca da Trinity College - Dublin, Irlanda

Eleita diversas vezes como a biblioteca mais linda do mundo, a velha biblioteca do Trinity College, em Dublin, é encantadora e tira o fôlego de todos os amantes da leitura.

 

Com um grande salão de dois andares, é possível encontrar mais de 200.000 exemplares de livros, em um visual que encanta qualquer viajante.

A biblioteca também possui exibições constantes de alguns de seus exemplares mais curiosos e interessantes, como o “Livro de Kells”, um evangelho feito por monges celtas durante a Idade Média.

A Livraria Bertrand do Chiado, em Portugal. Imagem: Divulgação.
A Livraria Bertrand do Chiado, em Portugal. Imagem: Divulgação.

Livraria Bertrand do Chiado - Lisboa, Portugal

A Livraria Bertrand do Chiado carrega o título de livraria mais antiga do mundo.

Inaugurada em 1732, ela possui sete espaços diferentes, decorados de forma a homenagear a literatura portuguesa.

As paredes da livraria são cheias de artes e pinturas que homenageiam escritores como José Saramago, Fernando Pessoa e Eça de Queiroz.

Alguns deles, inclusive, chegaram a frequentar a antiga livraria

A livraria fica na região central de Lisboa, e passear pelas ruas da cidade sem dar um pulinho nela é quase impossível para os amantes de literatura.

A casa-museu de Fernando Pessoa. Imagem Lijealso (CC BY 3.0), via Wikimedia Commons
A casa-museu de Fernando Pessoa. Imagem Lijealso (CC BY 3.0), via Wikimedia Commons

Casa e estátua de Fernando Pessoa - Lisboa, Portugal

A casa onde Fernando Pessoa viveu seus últimos anos de vida é hoje um grande museu que homenageia a vida e a obra do escritor e de todos os seus heterônimos.

 

Seu quarto está decorado para dar a impressão de que Pessoa foi à tabacaria e que, em breve, estará de volta. Ali também é possível ver de pertinho os icônicos óculos de armação arredondada que remetem de imediato a Pessoa.

Museu da Inocência - Istambul, Turquia

O “Museu da Inocência” foi criado pelo escritor turco Orhan Pamuk e consiste em uma coleção de objetos do cotidiano relacionados com a narrativa do livro homônimo, escrito e publicado por Pamuk após ele ter ganhado o Prêmio Nobel de Literatura em 2006.

A instituição está localizada na cidade de Istambul.

Além de ter uma ideia do cenário no qual o livro se passa, quem visita o Museu da Inocência consegue ver de perto como era a vida dos cidadãos ricos da Turquia dos anos 1970 aos anos 2000.

A casa de Tolstói. Imagem: Celest.ru (CC BY-SA 3.0), via Wikimedia Commons
A casa de Tolstói. Imagem: Celest.ru (CC BY-SA 3.0), via Wikimedia Commons

Yasnaya Polyana - Moscou, Rússia

A “Yasnaya Polyana” é o nome da casa onde Liev Tolstói viveu durante toda a sua vida.

Foi ali que ele escreveu livros como “Guerra e Paz” e “Anna Karenina” e é ali, também, que ele foi sepultado, quando morreu.

 

A propriedade fica a cerca de 200 quilômetros de Moscou e está toda preservada do jeito que era durante a época de Tolstói. Conhecer a propriedade que inspirou um dos maiores russos de todos os tempos vai, com certeza, encantar qualquer amante de literatura.

Casa do Nabokov - São Petersburgo, Rússia

A casa do escritor russo Vladimir Nabokov fica na cidade de São Petersburgo. Foi ali que ele nasceu, em 1899.

Em 1917, a família de Nabokov teve que fugir do país por conta da Revolução Russa e deixou a casa intacta, esperando um dia voltar para o lar.

Isso nunca aconteceu e, em 1990, a residência com seus móveis originais e a fascinante coleção de borboletas de Nabokov foram transformados em um museu, que celebra a vida e a obra do escritor russo.

Gaborone, em Botswana.
Gaborone, em Botswana.

Gaborone - Gaborone, Botswana

O livro “Agência Nº 1 de Mulheres Detetives”, foi escrito pelo escocês Alexander McCall Smith e se passa em Gaborone, que é a maior cidade e capital de Botswana.

O sucesso que o livro fez foi tamanho, que ele se tornou uma referência na literatura de mistérios e teve 18 continuações, que seguem o mesmo núcleo de personagens, além de uma série de TV.

Para conferir de perto os cenários do livro mais famoso de McCall, vá para Gaborone, capital de Botswana.

Cabo da Boa Esperança, na África do Sul.
Cabo da Boa Esperança, na África do Sul.

Cabo da Boa Esperança - África do Sul

Não há como visitar o Cabo da Boa Esperança sem lembrar de Camões em “Os Lusíadas”.

Em uma passagem do livro, uma nau portuguesa confronta um ser mítico, o “Gigante Adamastor”.

O gigante era a personificação do que costumava ser conhecido como “Cabo das Tormentas”, renomeado “Cabo da Boa Esperança” após o sucesso das expedições portuguesas.

Olhar para a gigantesca formação geológica sem se lembrar da referência feita pelo poeta português é tarefa difícil para os amantes de literatura.

A casa de Rimbaud na Etiópia. Imagem: A. Davey (CC BY 2.0), via Wikimedia Commons
A casa de Rimbaud na Etiópia. Imagem: A. Davey (CC BY 2.0), via Wikimedia Commons

Casa do Rimbaud - Harar, Etiópia

Em 1880, Rimbaud se auto-impôs um exílio.

Da França, o poeta foi viver na cidade de Harar, a cerca de 520 quilômetros de Addis Abeba, capital da Etiópia.

 

A casa onde ele viveu lá foi transformada no Centro Cultural Arthur Rimbaud, que fica no centro da cidade velha, Jugol.

Como não existem endereços em Harar, é preciso procurar pela construção mais fascinante de Jugol para encontrar a casa de Rimbaud.

Com fotos, objetos, a biblioteca do escritor e uma arquitetura impressionante, típica da Etiópia, a residência é um ponto interessante para os fãs de Rimbaud.

Shinjuku, bairro boêmio de Tóquio.
Shinjuku, bairro boêmio de Tóquio.

Haruki Murakami - Tóquio, Japão

A cidade de Tóquio é cenário recorrente dos livros de Haruki Murakami, diversas vezes favorito ao Prêmio Nobel de Literatura.

Em livros como “Norwegian Wood”, é possível caminhar pelas ruas da cidade japonesa lado a lado com o personagem Toru Watanabe.

Já na história “Após o anoitecer” e em “1Q84”, as personagens circulam por Shinjuku, o bairro boêmio de Tóquio.

Passear pela cidade após ter lido as obras de Murakami é muito mágico para qualquer leitor.

Agora que você descobriu 27 pontos turísticos mundiais voltados para quem ama literatura, que tal conhecer outros 900 destinos espalhados pelo mundo? Nosso Guia de Destinos possui dicas turísticas que vão agradar qualquer viajante.