Livingstone é destino certo para turistas em busca de paisagens únicas

Cidade abriga gigantes, a começar pelas Cataratas Victoria, um de seus mais importantes cartões-postais

Livingstone, distrito de Zâmbia, tem ar de cidade interiorana brasileira. Nada como um passeio pelas ruas para sentir uma brisa fresca, além de toda a calmaria característica de um município formado por um povo acolhedor. E são muitas as comparações com os municípios interioranos brasileiros, a começar pela rua principal, que concentra um importante museu, além de todo agito de centros comerciais, como bancos, lojas, restaurantes e feiras de produtos artesanais.

Livingstone é famosa pelas casas coloniais e, claro, pelas belas paisagens e passeios que levam a admirar toda a fauna e flora, a vida selvagem e muitas outras maravilhas naturais dessa pequena cidade.

Chegar a Livingstone não é tarefa difícil, pois a cidade conta com o Aeroporto Internacional de Harry Mwanga Nkumbula (LVI), aberto a voos domésticos que ligam várias cidades da Zâmbia às incríveis cataratas de Victoria e com voos internacionais também. A cidade ganhou esse nome graças ao missionário e explorador britânico David Livingstone, famoso por ter sido um dos primeiros europeus a explorar o interior da África.

O Memorial Livingstone foi construído em 1899, exatamente onde David faleceu, na aldeia de Chitambo. Outra curiosidade é o fato de a cidade ter sido escolhida para o romance The Grass is Singing, da escritora britânica Doris Lessing, em 1950.

Apesar da Zâmbia estar entre as nações mais pobres do mundo, suas riquezas naturais tornaram-se conhecidas mundialmente, principalmente pelo conjunto de cachoeiras com 1.708 metros extensão e 100 metros altura. As Cataratas Victoria fomentam o turismo no país, por isso é rota dos recém-chegados à África do Sul. O parque, junto ao Rio Zambeze, é Patrimônio Mundial da UNESCO e, em qualquer época do ano, a infinidade de cortinas brancas enchem os olhos dos turistas, que podem ver um lindo arco-íris permanente no alto das montanhas.

As cachoeiras também são conhecidas pelo povo kololo como Mosi-oa-Tunya, a fumaça que troveja. Essa é uma experiência inesquecível e uma forma de vida bem diferente de todo o agito das grandes metrópoles.

Onde Ficar

Onde Ficar

Onde Comer

Onde Comer

Onde Ir

Onde Ir

O que levar

O que levar

Como a temperatura é predominantemente quente na maior parte do ano, é sempre bom levar na mala:

Capa de chuva para um passeio nas cataratas

Garrafa de água

Protetor solar

Roupas leves e confortáveis

Informações e links úteis

Informações e links úteis

Quando ir

Os meses de melhor tempo em Livingstone são de março a novembro. Em média, os meses mais quentes são setembro, outubro e novembro, nos quais os termômetros batem os 40°C. O período mais seco é de maio a outubro, e os meses mais chuvosos são janeiro e dezembro.

Como se locomover

As rodoviárias do país não são tão organizadas, então o mais recomendado para turistas é pegar táxi ou triciclo para se deslocar pela cidade, principalmente à noite. Durante o dia, é tranquilo andar a pé. Para ir do centro até as cataratas, também vale a pena pegar um táxi.

  • Vacina
    é exigida certificação internacional de vacinação contra febre tifoide, meningite, hepatites A e B, raiva e febre amarela para as pessoas provenientes de um país onde a doença existe em um estado endêmico
  • Passaporte
    obrigatório
  • Visto
    é exigido de brasileiros
  • Moeda
    kwatcha
  • Fuso
    UTC+02:00
  • Embaixada
    4, Manenekela Road (off Independence Avenue) Woodlands P.O.Box 33737 10101 Lusaka 00 260 211 25-2171

Dicas de quem já viajou

Dicas de quem já viajou

Envie sua dica!

Conte como foi sua experiência viajando com a gente.